Rompimento de barragem em Rondônia.

Duas barragens se rompem após ser atingida por uma tromba d’água.

Na tarde de sexta-feira, 29, no distrito de Novo Oriente, em Ariquemes, em Rondônia, o rompimento de duas barreiras, causado supostamente pelas fortes chuvas que a região vem sofrendo, deixou centenas de pessoas isoladas. Felizmente não houve vítimas.

Segundo o comandante da Polícia Ambiental, Washington Soares Francisco, a força da água destruiu cerca de sete pontes, diante disso deixou centenas de pessoas isoladas pela região.

Para mais informações sobre as causas, a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental do estado, compôs uma força-tarefa. Funcionários do governo local e servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), foram mobilizados para avaliar os impactos do rompimento da barragem.

“O local atingido pela tromba d’água apresenta no seu entorno atividades de piscicultura e mineração de cassiterita, sendo necessária a presença da equipe técnica para identificar qual o tipo de barramento sofreu a ruptura”, informou a secretaria.

Caso rompimento tenha sido da barragem mineral, não há risco de contaminação. “O material nela contido é constituído basicamente de areia e argilas, sem a presença de metais pesados na sua constituição.”Diz a empresa.

Providências.

“É prematuro afirmar que tem metal pesado”, declarou o secretário Elias Rezende de Oliveira.

Ainda que as barragens ficavam próximas a um córrego, por isso a análise da água, para saber se houve contaminação.

Ainda temos que saber o que esse córrego alimenta. Temos várias áreas de piscicultura e pecuária”, disse.

Oliveira disse também que os licenciamentos das barragens da região foram emitidos “na gestão passada” e estão em dia, válidos até 2022.”Vamos fazer uma vistoria para ver se houve falha no licenciamento”, afirmou.

Soluções para as famílias afetadas já estão sendo tomadas. No entanto as conclusões do tamanho do desastre serão levantadas após a análise do tipo de resíduo despejado no meio ambiente.

O Ministério Público de Rondônia abriu um inquérito para apurar a responsabilidade sobre o rompimento das barragens.

Mas a pergunta que não quer calar: ” Porquê essas barragens são tão inseguras? O que pode ser feitos para controle?

O governo vem tomando providencias para que as respostas dos porque sejam apuradas. E assim diminuída a insegurança de quem vive aos arredores dessas barragens.

O que as barragens trazem para as cidades.

As barragens são estruturas complexas, de risco e potencial elevados. Em caso de incidentes ou acidentes, resultam em consequências custosas com danos significativos.

Os principais problemas que o rompimento de uma barragem pode causar são: destruição de casas, fazendas e comércios; morte de pessoas e animais; pessoas desabrigadas; perda de bens materiais; desequilíbrio ambiental; desperdício de água; grandes área inundadas e contaminação dos cursos d’água próximos

Cidades construídas em torno destas barragens, ou vice versa, tem sempre ligação direta porque vive na dependência, seja da arrecadação de tributos sobre as empresas ou na geração de empregos.

Como resultado, a prevenção é o melhor negócio.

Mas um bom planejamento deve sempre ser levado em consideração. O planejamento envolve desde a implantação da barragem, onde será construída, avaliação dos riscos, relatórios de estabilidade, modelagem computacional até o levantamento da populações do entorno (e jusante), legislações, controle e fiscalização.

Além dos fatores e riscos ambientais e o custo que a empresa irá arcar com o rompimento de sua barragem, há ainda o risco com vidas humanas, este quase impossível de ser revertido.

Por isso planeje, fiscalize e contrate empresas sérias para a realização desses estudos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *