De catador de papelão a estudante de um curso de doutorado

Jefferson Dionísio, um jovem de 24 anos de idade, morador da periferia de São Vicente é o mais novo estudante do curso de doutorado em Filosofia de uma universidade no Chile

 

Fazer um curso de doutorado é possível para todos aqueles que possuem força de vontade e dedicação,

não importando a sua condição financeira.  É o caso de Jefferson Dionísio de Souza.

Ele morador do litoral de São Paulo, especificamente na periferia de São Vicente, teve uma conquista

que tão cedo esquecerá, conseguiu uma vaga em uma universidade chilena no curso de doutorado em Filosofia.

E essa vaga foi conquistada a muito custo e persistência, pois para pagar suas passagens para estudar, catou muito papelão na rua.

Quem é Jefferson Dionísio de Souza

Jefferson Dionísio de Souza é um jovem de apenas 24 anos de idade, morador da periferia de São Paulo.  De família humilde e que estudou em escola pública, porém, nunca deixou seu sonho de lado.

Quando adolescente, trabalhou na Prefeitura de São Vicente, no Centro de Aprendizagem e Mobilização

Profissional e Social e com somente 18 anos, iniciou a faculdade de Filosofia em uma universidade em Santos.

Ele faz questão de contar o sacrifício financeiro que passou para poder finalizar o seu curso universitário

“Eu ganhava R$ 668 de bolsa-auxílio e a faculdade era R$ 660. Todo o meu salário ia para os ­estudos, não sobrava nada. Cheguei a trancar a matrícula no primeiro ano pois não tinha mais como pagar. Um ano depois, em 2015, eu voltei para a universidade, mas então fiquei desempregado”.

Por estar desempregado, Jefferson completou o primeiro ano de faculdade, sem pagar as mensalidades,

porém, no segundo, conseguiu uma bolsa de estudos do Programa Universidade para Todos.

A dívida acumulada no primeiro ano de faculdade somou quase cinco mil reais. Com isso, optou por ir de

bicicleta para universidade e passou a catar papelão para vender, mas com a ajuda de diversos amigos, conseguiu pagar a dívida.

Ele disse ainda que “ia sempre com a mesma roupinha, os mesmos sapatos. Todo dia igual, não tinha dinheiro para comprar mais nada”.

Assim que se formou, Jefferson passou a ministrar aulas em escolas públicas e, devido ao seu grande destaque como aluno excepcional, os professores da faculdade sugeriram para fazer um mestrado no exterior.

O grande sonho

Com isso, foi para o Chile, conhecer as faculdades para postular uma vaga de mestrado ou doutorado.

No final do ano passado, recebeu a maravilhosa notícia que foi aprovado no doutorado, sem ter sequer necessidade de fazer o mestrado. “Meu nome estava na lista de aprovados, entre americanos, franceses, alemães e outros estrangeiros. Passei em terceiro lugar. Foi incrível”.

Atualmente, Jefferson mora no Chile e cursa doutorado em Filosofia na Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso.

A princípio, ele irá concluir o curso no ano de 2023, mas não sabe se voltará ao Brasil ou se tentará seguir carreira no exterior.

Ele diz: “Tenho muito que agradecer a todos que acreditaram em mim. Minha família nunca duvidou da minha capacidade e sempre me apoiou. Hoje estou realizando um sonho graças aos professores, aos amigos e a todos que me incentivaram”, finaliza.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *